sábado, 31 de março de 2012

Clube Rotário da Praia da Rocha e ESMTG

«A competência intercultural envolve o conhecimento, a motivação e as competências para interagir apropriada e eficazmente com membros de outras culturas.» Foi com esta citação de Wiseman que o professor João Carlos Alves iniciou a palestra sobre Competências Interculturais que teve lugar no passado dia 20 de março, no Hotel Algarve, no jantar promovido pelo Clube de Rotários da Praia da Rocha a pretexto do seu 14º aniversário.

Este convite, que muito nos honra, foi endereçado ao professor João Carlos Alves, no âmbito da visita de estudo a Dortmund, dos alunos das turmas de Alemão - 11º M e N e ainda dos 10º P e Q.

O Clube de Rotários da Praia da Rocha, na pessoa do senhor Schlünder, e a Fundação Rotária Portuguesa tiveram um papel ativo no incentivo a esta deslocação à Alemanha, no âmbito dos seus objetivos interculturais e educacionais, e para a qual contribuíram com um apoio financeiro substancial que aqui publicamente se agradece.

Na sua palestra, o professor João Carlos Alves fez questão de sublinhar as aprendizagens decorrentes desta visita de estudo, do modo como contribuiu para um maior conhecimento do povo e da cultura alemã e, claro, como a mesma desenvolveu nos alunos competências interculturais como a empatia, a tolerância ou a predisposição para aprender com o outro.

A julgar pelos testemunhos dos alunos, estes objetivos foram largamente atingidos e ultrapassados:

«Antes da viagem, eu tinha um pouco a ideia de que o povo alemão era um povo frio e austero, mas quando cheguei à Alemanha, percebi que os alemães são é mais conservadores mas bastante simpáticos e recetivos.» Oxana Dimova

«Existe um preconceito geral entre os portugueses de que os alemães são pessoas mais frias e arrogantes do que nós. Apesar disso aceitei ir no intercâmbio de mente aberta.(...)Penso que agora compreendo melhor a cultura alemã assim como a sua maneira de ser. Considero-me mais apta para comunicar com eles, e adorava lá voltar.» Carolina Reis

Num mundo que as novas tecnologias uniu e em que as fronteiras deixaram de existir, este espírito de abertura e de aceitação do outro é terreno fértil para a promoção da paz e da boa vontade no mundo em que vivemos, e a parceria e apoio de uma organização, como o clube dos rotários, que incentiva à prática destes valores serão sempre bem vindos e desejáveis num estabelecimento de ensino como a Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes que, nos traços identitários constantes no seu Projeto Educativo, menciona, entre outros, «o ideário humanista, o respeito pela diferença» e «a educação para uma cidadania plena.»

Notícia enviada pela diretora do 11.º N - Ana Costa